Eolas

Um novo tempo?

Fala-se muito que os novos tempos vão trazer uma mentalidade nova e que as pessoas viverão de uma forma muito diferente. Adiar esse tempo para um futuro ainda distante é querer atrasar a evolução pessoal e da humanidade. Não existe uma nova era ainda  por vir, com uma nova mentalidade a se formar. Nós já estamos vivendo esse momento e agora é, isto sim, só a hora de tomar consciência.

Para ajudar aqueles que já estão sentindo em si essas profundas alterações e aqueles que percebem que é necessário promover mudanças radicais na vida prática, o exoterismo acena com a possibilidade de começar essas alterações por dentro, criando uma forma muito sensível   de se relacionar com o Universo.

O exoterismo era um ensinamento filosófico restrito a poucos, em sua origem grega. Hoje, esse conhecimento secreto está sendo resgatado e divulgado amplamente, pois a humanidade está precisando  do apoio espiritual que ele contém. De oculto, ele passou a aberto; de hermético, ele tornou-se de entendimento claro.

Esta coluna dedica-se a transmitir todo tipo de conhecimento esotérico, seguindo apenas o critério de interesse pelo assunto, demonstrado pelas pessoas que nos procuram para consultas e cursos. Neste mês escolhemos um tema muito importante: Os Anjos de Guarda.

Uma pesquisa realizada pela empresa de consultoria, Saldiva & Associados, de São Paulo, em 1992, na qual foram entrevistados por volta de mil pessoas, mostrou que das instituições nas quais o povo do  Brasil ainda crê, os anjos são favoritos, pois 91% dos entrevistados, os consideraram dignos de confiança. Eles ganharam, nesta pesquisa, da religião, do governo e dos políticos.

Os anjos estão presentes na história da humanidade, assumindo importância e formas variadas, de acordo com a cultura e a religião do  povo em questão. No Egito, na Babilônia e na índia eles são encontra­  dos. Na mitologia grega e romana eles eram semi-deuses, encarregados  de fazer a ligação entre os homens e os deuses. Platão, Zaratustra e Patanjali escreveram sobre anjos.

A igreja católica define os anjos como espíritos puros, criados por Deus antes da humanidade para transmitir a vontade divina, anunciar acontecimentos e servirem de instrumentos da justiça e da misericórdia de Deus. Eles não são constituídos de matéria, têm conhecimento intuitivo e estão livres das paixões. Assumem formas físicas se quiserem, aparecendo para as pessoas.

Os anjos estão divididos em três grandes hierarquias, cada  uma delas dividida em três. A primeira hierarquia exerce suas funções junto a Deus e é composta pelos serafins, querubins e tronos. A segunda hierarquia, que governa o Universo, está composta pelas dominações, virtudes e potências. Por fim, a terceira hierarquia, que é composta pelos principados, arcanjos e anjos de guarda.

Os arcanjos têm a função de transmitir as mensagens de mais alta importância, por isso os pedidos feitos a eles são atendidos muito eficientemente. Os anjos de guarda são anjos pessoais e estão conosco todo o tempo, cuidando da nossa segurança individual.

Este renascer do interesse pelos anjos tem um significado muito promissor, pois pode ser um primeiro passo na preparação da humani­dade para um estágio superior na sua evolução espiritual.

Celina Fioravanti

Publicado originalmente em 13/03/1993

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *